Como Criar Crianças de Sucesso (Parte 2 de 3)

Se tivermos a coragem de olhar para o que de fato foi feito com essas crianças, vamos observar que, além delas acreditarem que todo o seu brilho é consequência do seu desempenho escolar, elas poderão acreditar que não conseguem chegar aos melhores lugares sem a nossa orientação, sem o nosso direcionamento e sem a nossa super proteção. Dessa forma, os adultos privam as crianças de construírem sua auto-eficácia, um dos mais importantes princípios da personalidade humana.

A auto-estima é desenvolvida quando alguém recebe aplausos de outros. A auto-eficácia é desenvolvida quando alguém percebe que suas próprias atitudes surtiram o efeito esperado ou desejado. Se quisermos que as crianças desenvolvam a auto-eficácia (o que é extremamente importante para elas), precisamos deixar que elas planejem, pensem, decidam, façam, tentem, errem, corrijam, esperem, confrontem, decidam, negociem, sonhem e experimentem muito mais por elas mesmas.

O que estamos tentando dizer é que quando o desempenho acadêmico, os certificados e a aprovação em escolas especificas são o grande propósito da infância e da juventude, essa é uma definição de sucesso muito pequena para as crianças e jovens. Estamos dizendo que devemos tomar cuidado em super proteje-los, ou super direciona-los, pois as ajudas constantes que propiciamos podem influenciar muito na sua auto construção.

O que estamos querendo alertar é que os adultos deveriam se preocupar menos com o que eles consideram ser o caminho para o sucesso para as crianças e deveriam estar muito mais atentos para os hábitos, a mentalidade, as habilidades, o bem estar e o amor próprio delas de forma que sejam bem sucedidas onde quer que decidam ir.

O que queremos dizer é que as crianças precisam que sejamos muito mais interessados em prover uma base com amor e tarefas rotineiras na infância para que elas sejam bem sucedidas.

Tarefas rotineiras? Sim, é isso mesmo.

Um dos estudos mais longos com seres humanos é o chamado Harvard Grant Study. Esse estudo mostra que ter sucesso profissional na vida, que é o que almejamos para nossas crianças, está diretamente ligado à realização de tarefas rotineiras enquanto crianças, e quanto mais cedo, melhor.

Realizar tarefas rotineiras significa “arregaçar as mangas e colocar a mão na massa”. Significa compreender que existe um trabalho desagradável para ser realizado e que eu também tenho que contribuir para executa-lo. Significa que a criança tem que ter a consciência que sua parcela de esforço é primordial para o bem de todos.

É isso o que te faz estar à frente em seu local de trabalho.

É importante que as crianças participem dos trabalhos rotineiros, pois mais a frente elas devem ter a iniciativa de olhar para seu redor e pensar como ela pode contribuir com seus colegas ou como ela podo antecipar alguns passos daquilo que seu chefe pode precisar.

Uma segunda descoberta muito importante obtida pelo Harvard Grant Study dizia que a felicidade na vida vem do…

(A continuação deste texto será publicado em um terceiro post. Não perca!)




Leave a reply