O bilinguismo atrapalha no processo de alfabetização?

A aprendizagem de uma segunda língua não interfere nem atrapalha no processo de alfabetização. Muito pelo contrário, aprender um outro idioma fortalece o desenvolvimento de habilidades cognitivas, como a capacidade de conceituação, a criatividade, a memória, a atenção e a consciência metalinguística.

Em um contexto de ensino bilíngue, os alunos lidam constantemente com dois sistemas linguísticos distintos de representação conceitual (a língua materna e a língua adicional) e, nesse processo, adquirem precocemente habilidades que são fundamentais para o desenvolvimento da leitura e da escrita.

Dentre essas habilidades podemos destacar: a atenção sustentada; a acuidade auditiva (reconhecimento e discriminação não apenas dos sons presentes na língua materna, como também daqueles específicos do segundo idioma); a percepção da arbitrariedade dos signos (ao utilizar duas palavras distintas para conceituar um mesmo objeto que conhecem, como “ball” e “bola”), a capacidade de síntese (quando filtram a informação e depreendem o que é mais importante para dar sentido à comunicação – entendimento global).

A criança que vivencia um ambiente alfabetizador bilíngue está exposta a situações diversificadas de uso oral do idioma e da sua forma escrita. Ela constantemente toma decisões acerca dos sons de letras e palavras, assim como do vocabulário que vai utilizar em determinado contexto para responder ao estímulo linguístico, mediado pelo educador.

Dessa forma, ela manipula melhor os sons e apresenta consciência metalinguística mais desenvolvida. Além disso, por estar exposta a uma variedade maior de materiais impressos em ambas as línguas, a criança desenvolve um conhecimento mais aprimorado sobre as convenções da escrita.

E como ocorre a alfabetização bilíngue?

A alfabetização bilíngue pode ocorrer de forma simultânea ou sequenciada. Na forma simultânea, a escrita de ambas as línguas é explorada ao mesmo tempo e o processo se dá concomitantemente. Na alfabetização sequenciada, a criança é alfabetizada na língua materna e somente após o domínio da leitura e da escrita na primeira língua é que se inicia o processo de alfabetização na segunda.

O bilinguismo atrapalha no processo de alfabetização?

Vale ressaltar que ao longo do processo de alfabetização bilíngue, há uma transferência das habilidades e conhecimentos adquiridos de uma língua para outra, tais como a atenção, a discriminação fonética, o conhecimento prévio de que a representação gráfica carrega sentido, a percepção de que a sequência escrita pode ser quebrada em partes menores como as palavras ou letras, o estabelecimento da relação entre letra e som, a decodificação, o reconhecimento da estrutura frasal ou textual, etc.

Portanto, conclui-se que a educação bilíngue oferece grandes vantagens ao aluno que está sendo alfabetizado e, por isso, pode ser muito benéfico para a educação infantil.

Fonte: Blog Edify Education




Leave a reply